Artigo - Crescimento e Desenvolvimento Humano, Aprendizagem Motora e sua aplicação na Natação


Crescimento e Desenvolvimento Humano, Aprendizagem Motora e sua aplicação na Natação

Figura. Ampulheta das Fases e Estágios do desenvolvimento motor.(1)


Crescimento e Desenvolvimento Humano, Aprendizagem Motora e sua aplicação na Natação

Moacyr “Pestana” da Rocha Freitas *

* CREF 01697-G/SP
Consultor de NADAR! SWIMMING MAGAZINE

Palavras-chave: desenvolvimento humano, Gallahue, aprendizagem, cognição, coordenação

https://n2t.net/ark:/21207/NADAR.v2i165.14

RESUMO

Este texto tem por objetivo apresentar um resumo da literatura sobre Crescimento e Desenvolvimento Humano, Aprendizagem Motora e sua aplicação na Natação. É de suma importância que o Profissional da Educação Física que trabalha com Natação tenha conhecimento destas disciplinas para compreender o que acontece com seus alunos (nas diferentes faixas etárias) para melhor planejamento, organização e atuação nas suas aulas.

INTRODUÇÃO

Crescimento Físico é o aumento do tamanho do corpo do indivíduo, ou de suas partes, durante toda a vida. Desenvolvimento Humano se caracteriza pelas mudanças no nível de funcionamento do indivíduo ao longo do tempo; sendo o Desenvolvimento Físico a mudança contínua do comportamento motor ao longo do ciclo da vida pela interação da tríade: Indivíduo / Ambiente / Tarefa; em que no Indivíduo, devem ser considerados os aspectos cognitivos, afetivos e motores. Os objetivos, sua complexidade e os padrões de movimento são exigências da Tarefa. O Ambiente, deve ser entendido como o local da prática, o estímulo e a oportunidade de fazer uma atividade esportiva, os aspectos motivacionais e nutricionais.

A Aprendizagem está intimamente ligada ao crescimento e desenvolvimento humano. Gallahue, Ozmun e Goodway (1) definem Aprendizado como um processo interno que resulta em mudanças consistentes no comportamento; em que

'...Aprender é resultado de experiência, educação e treinamento, interagindo com os processos biológicos. Delineia-se, em grande parte, pelo desenvolvimento do indivíduo e é uma função da prática. (1)'

A Aprendizagem Motora é uma mudança relativamente permanente no comportamento motor, que envolve a aquisição e refinamento de habilidades do movimento, de acordo com a experiência e a prática anterior.

E como o aluno aprende?

Há 3 formas de o aluno aprender; a partir de estímulos externos: Visual, Auditiva e Tátil. Há, também, a Aprendizagem Proprioceptiva, que é uma aprendizagem interna; ou seja, como o aluno “se percebe” durante a execução de um determinado gesto motor.

Magill (2) destaca 3 modelos de estudos sobre Aprendizagem Motora:

Modelo de 3 Estágios de Fitts e Posner;
Modelo de 2 Estágios de Gentile;
Modelo de Coordenação e Estágios de Controle de Newell;

O Modelo de 3 Estágios de Fitts e Posner (1967).

Estágio Cognitivo: muitos erros, desempenho variável e inconsistente, feedback aumentado;
Estágio Associativo: diminuição dos erros; desempenho menos variável, feedback intrínseco e aumentado;
 Estágio Autônomo: poucos erros, desempenho consistente, feedback intrínseco e aumentado intervalado.

O Modelo de 2 Estágios de Gentile (1972, 1987, 2000)

Estágio Inicial
- Captar a ideia do padrão de movimento
- O que fazer para atingir a meta da habilidade motora proposta
- Aprender a discriminar os aspectos ambientais

Estágio de Fixação e Diversificação

- Adaptação ao padrão de movimento
- Aumenta a consistência do padrão de movimento
- Desempenhar com economia de esforço

O Modelo de Coordenação e Estágios de Controle de Newell (1985)

Coordenação: aquisição do padrão de movimento
Controle: aumento da consistência e eficiência do movimento

Quando se fala no processo ensino-aprendizagem, um ponto muito importante a ser observado é o feedback, que, segundo Magill (2), é classificado em:

Intrínseco (proprioceptivo)
Extrínseco ou Feedback Aumentado (fonte externa)
- Imediato (logo após a tarefa)
- Intervalado
- Sem Feedback

De acordo com a linha da Educação Física Desenvolvimentista, que enfatiza a aquisição de habilidades de movimento e crescente competência física baseada no nível de desenvolvimento do indivíduo, que é único!

'...as decisões do professor com relação ao que ensinar, quando ensinar e como ensinar estão primordialmente baseadas na apropriação da atividade pelo indivíduo... (3)'

Tendo como base a ampulheta das fases e estágios do desenvolvimento motor humano de Gallahue, Ozmun e Goodway (Figura), em que é possível observar as mudanças no comportamento motor ao longo das fases da vida: bebê, criança e adolescente até a utilização ao longo da vida; apresentamos os aspectos mais importantes para o desenvolvimento de habilidades motoras aquáticas fundamentais e especializadas na natação.

É importante registrar que se trata de uma ilustração didática; em que as faixas etárias são aproximadas para as respectivas fases do movimento e estágio do desenvolvimento motor; e que a aquisição de habilidades motoras independe da idade devido a inúmeros fatores como o indivíduo, o ambiente e a tarefa propriamente dita; conforme descrito anteriormente.

APLICAÇÃO NA NATAÇÃO

A Pedagogia da Natação tradicionalmente usada em escolas de natação, academias e clubes é composta por:

Natação Infantil: dos 6 meses aos 3 anos;
Adaptação ao Meio Aquático;
Habilidades Motoras Aquáticas;
Iniciação dos 4 Nados;;;
Aperfeiçoamento;
Treinamento.

Também é culturalmente classificada em Iniciante, Intermediário e Avançado, dentro das faixas etárias, em cada nível.

A Natação Infantil trabalha na faixa etária dos 6 meses aos 3 anos; portanto abrange as Fases do Movimento Reflexo e do Movimento Rudimentar. Dos 6 aos 18 meses, aproximadamente, os bebês estão com a mãe (ou o pai) e são estimuladas a se movimentar no meio aquático, sob orientação do profissional. São desenvolvidas tarefas de submersão (com o adulto segurando) e outras de apreensão e equilíbrio, com os bebês sentados em “tapetões” de “eva” com brinquedos. A partir dos 18 meses os bebês são colocados em decúbito dorsal (com apoio do adulto) e, sendo solta aos poucos. É o início do trabalho de sobrevivência, em que o bebê é submerso e, sem auxílio, volta à superfície e flutua em decúbito dorsal. O ambiente da piscina é preparado com muitos brinquedos, objetos e equipamentos que estimulem a combinação das habilidades motoras de estabilidade, locomoção e manipulação.

Como a água não é nosso ambiente natural é necessário um processo de adaptação e ambientação ao meio aquático. Na Adaptação ao Meio Aquático, o mais importante é fazer com que a criança se sinta totalmente segura e adaptada. Neste nível ela aprende as regras de segurança básicas de um ambiente aquático; a entrar e sair sozinha da piscina (escada/borda); se sustentar e se deslocar. A faixa etária mais comum nesse nível é dos 4 a 7 anos. Abrir os olhos embaixo d’água; respiração; flutuação e sustentação; submersão e saltar de pé da borda são algumas habilidades motoras aquáticas desenvolvidas nessa fase. O nado “cachorrinho”, que corresponde ao engatinhar (por volta do nono mês), também acontece aqui.

As Habilidades Motoras Aquáticas de estabilidade, locomoção e manipulação continuam sendo estimuladas; tais como: fazer “torpedinho”; pernadas alternadas e simultâneas (sem preocupação com a técnica); sentar na prancha e se deslocar com o movimento das mãos; remar para frente, para os lados e para trás com as pernas flexionadas; palmateios, rolamentos laterais, cambalhotas para frente e para trás, saltos e mergulho elementar. As crianças são incentivadas a “inventar” movimentos; algo somente possível no meio aquático.

Os fundamentos básicos da adaptação ao meio aquático e das habilidades motoras aquáticas devem ser muito bem trabalhados antes da iniciação de qualquer nado; pois, se houver algum fundamento pouco desenvolvido, poderá acarretar em dificuldade durante o aprendizado dos nados na Fase do Movimento Especializado; ou seja, o aluno deverá apresentar proficiência nos fundamentos anteriormente trabalhados para que sejam ensinados novos componentes das habilidades motoras das etapas seguintes. A Barreira de Proficiência aparece aos 6-7 anos, aproximadamente.

As duas etapas acima correspondem à Fase do Movimento Fundamental de Gallahue, Ozmun e Goodway (1); sendo que no final das Habilidades Motoras Aquáticas pode ser notada uma transição para a Fase de Movimento Especializado, em que serão desenvolvidos os 4 Nados culturalmente conhecidos: Crawl, Costas, Borboleta e Peito, de forma elementar.

É na Iniciação que são introduzidos movimentos com as características do gesto motor dos nados (a partir dos 7-8 anos, aproximadamente). Aqui ocorre o Estágio de Transição da Fase do Movimento Fundamental para a Fase do Movimento Especializado. Uma situação bastante peculiar na natação diz respeito à pernada do Nado Peito. Muitas crianças apresentam maior facilidade na execução da pernada do Nado Peito já no nível de Adaptação ao Meio Aquático, durante a flutuação/sustentação e deslocamentos.

O Aperfeiçoamento corresponde à melhora dos gestos motores mais técnicos de cada nado É muito comum ter 4 etapas: 1. Nados Crawl e Costas; 2. Nado Borboleta; 3. Nado Peito; e 4. Nado Medley.

Freitas (4) define Treinamento como 'um processo de preparação física, técnica, tática e psicológica do nadador, tendo como objetivo o alto rendimento'. Normalmente, a criança com 8-9 anos já começa a treinar. A partir dos 13-14 anos, quem não está, ou não quer estar, em um programa de treinamento possui condições de praticar a natação como atividade física para o resto da vida.

É muito importante sempre ter presente o conceito de aplicação de uma habilidade motora de acordo com o indivíduo, o ambiente e a tarefa.

A Tabela apresenta uma visão global do que foi descrito: As faixas etárias, as fases do movimento, os estágios de desenvolvimento motor e suas relações e aplicação com a Pedagogia da Natação.


IDADE (ANOS) FASES ESTÁGIO APLICAÇÃO
14 + MOVIMENTOS ESPECIALIZADOS UTILIZAÇÃO AO LONGO DA VIDA TREINAMENTO OU ATIVIDADE FÍSICA
11 A 13 APLICAÇÃO TREINAMENTO
7 A 10 TRANSIÇÃO APERFEIÇOAMENTO
BARREIRA DA PROFICIÊNCIA ADAPTAÇÃO + HABILIDADES MOTORAS AQUÁTICAS
5 A 7 MOVIMENTOS FUNDAMENTAIS MADURO
3 A 5 ELEMENTAR
2 A 3 INICIAL NATAÇÃO INFANTIL
1 A 2 MOVIMENTOS RUDIMENTARES PRÉ-CONTROLE
0 A 1 INIBIÇÃO DO REFLEXO
4 MESES A 1 MOVIMENTOS REFLEXOS DECODIFICAÇÃO DE INFORMAÇÕES

Tabela. Adaptado das fases e estágios do crescimento e desenvolvimento (1)


CONSIDERAÇÕES FINAIS

Diante do exposto, é necessário compreender o processo de evolução da criança para planejar um programa de aprendizagem motora de acordo com as Fases e Estágios do Desenvolvimento Motor; compreendendo as características do indivíduo, do ambiente e da tarefa próprias da Natação.

REFERÊNCIAS

(1) Gallahue D L, Ozmun J. C, Goodway J D. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, crianças, adolescentes e adultos. 7th ed. Porto Alegre: AMGH; 2013.

(2) Magill R A. Aprendizagem e controle motor: conceitos e aplicações. 8th ed. São Paulo: Phorte; 2011.

(3) Gallahue D L, Donnelly F C. Educação física desenvolvimentista para todas as crianças. 4th ed. São Paulo: Phorte, 2015.

(4)Freitas M R. Aperfeiçoamento em Natação – Estrutura e Organização: como planejar, organizar e montar um programa de aperfeiçoamento. São Paulo: Editado pelo autor, 1999.


Estatísticas do Artigo

Stats

 


Apoio

Apoie a NADAR! Envie uma mensagem agora, para: NADAR@REVISTANADAR.COM